.

Clique aqui e escolha a sua no Site TonyGifsJavas.com.br

O SABOR DA VIDA COMEÇA NA COZINHA


.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Rabanadas Simples e Rápidas


Sei que o Natal já passou, mas acho que não precismos esperar chegar o próximo Natal para saborearmos esta delícia. Não é mesmo?!... Fica essa receita de rabanadas simples, mas que ficaram deliciosas... Anote para fazer quando tiver vontade comer novamente!

Ingredientes:
Rabanadas:

1 filão de pão próprio para rabanada ou baguette amanhecida, cortado em fatias de 2 cm de espessura2 xícaras (chá) de leite (480 ml)3 colheres (sopa) açúcar4 ovos ligeiramente batidosÓleo para fritar
quanto baste de canela-da-china em pó para polvilhar
quanto baste de açúcar  para polvilhar

Preparo:
Para as rabanadas: coloque aproximadamente 3 cm de óleo em uma frigideira grande de bordas altas e reserve. Passe as fatias de pão no leite misturado com o açúcar e depois no ovo. Em seguida, coloque-as no óleo quente e frite-as (aos poucos) até ficarem douradas dos dois lados. Retire com uma escumadeira e deixe escorre em papel-toalha. Reserve. Misture canela e açúcar para passar as rabanadas no açúcar e na canela de ambos os lados. Sirva ainda quentinho que é uma delícia ou se preferir aguarde esfriar.



É Bom Saber:

Em Portugal, de onde vem a receita, a rabanada é chamada também de fatia-dourada, por causa da coloração, ou fatia-de-parida. Diziam que ajudava na produção de leite materno, e todo mundo que tinha neném comia. Consta também que teria surgido como aproveitamento do pão amanhecido.
Essa gostosura veio para o Brasil com todos esses nomes. No sertão do Nordeste, como pão de trigo antigamente era raridade, as fatias douradas tinham “uso limitado a datas especiais, como o jantar do Natal, aniversários, sobremesa para visitas”, relata a escritora paraibana Ana Rita Suassuna em seu livro Gastronomia sertaneja – receitas que contam histórias (editora Melhoramentos).
A autora cita ainda um detalhe muito importante: a quantidade dos ingredientes geralmente é colocada “a olho”, num gesto que mostra como a receita está arraigada aos nossos costumes. 

Existem muitas versões de rabanada. As mais simples são feitas com leite. Outras lançam mão de certo requinte, incluindo o encorpado vinho do Porto no preparo. Ao invés de polvilhadas com açúcar e canela, podem também levar calda de açúcar ou mel.
No Nordeste, conta Carlos Ribeiro, do paulistano Na Cozinha, o doce é preparado com leites de coco e condensado no lugar do de vaca. Para a festa ficar completa, o chef ensina essa e outra receita.  A rabanada ao Porto, que serve em seu restaurante, vem com sorvete de baunilha, biscoito de castanha-do-brasil, calda de caramelo e é herança deixada pela sua avó confeiteira, dona Miquinha, da Confeitaria Royal, em João Pessoa. Iguarias douradas da noite de Natal.
Fonte: Comida

Um comentário:

Leni de o. colaferri disse...

receitas faceis de fazer, sem omissoes,claras. pelo a rabanada esta assim